Emenda em norma internacional reconhece a importância de testar arcos de falta fase-terra em religadores monofásicos

A NOJA Power elogia a IEC pela revisão da norma internacional, especificando testes de contenção e exaustão arco em casos de falha catastrófica devido a arcos fase-terra em religadores monofásicos, visto que isto incentivará os fabricantes a projetarem produtos que falham de maneira controlada.

Comunicado de imprensa

Outubro 2012
No caso de arco, o religador de poste OSM NOJA Power direciona os gases quentes para o poste e para cima, minimizando o risco ao pessoal de manutenção e ao público em geral que podem estar no solo

No caso de arco, o religador de poste OSM NOJA Power direciona os gases quentes para o poste e para cima, minimizando o risco ao pessoal de manutenção e ao público em geral que podem estar no solo.

Os engenheiros da NOJA Power hoje informam que uma emenda à Norma IEC 62271-200† reconhece que arco fase-terra em religadores monifásicos pode ser causa de falha catastrófica e as unidades devem ser testadas para tal eventualidade. Anteriormente, a norma mencionada testes obrigatórios apenas para unidades trifásicas; agora a norma requer testes monofásicos adicionais, obrigando fabricantes de religadores a garantir que contenção de arco de falta apropriada esteja incorporada em seus produtos.

A causa mais provável de arcos são descargas atmosféricas, causando um pico de tensão que estressa o para-raios do religador e excede o NBI do sistema de isolamento. A falha poderia ser também o resultado de múltiplas descargas atmosféricas que degradam o isolamento ao longo do tempo.

Embora arcos de falta fase-fase em religadores modernos que utilizam interruptores a vácuo embutidos em polos de resina ciclo alifática sejam improváveis, faltas fase-terra podem ocorrer e as unidades que não incorporam contenção e exaustão de arco de falta podem falhar de maneira descontrolada e catastrófica.

Religadores que foram adequadamente projetados para contenção de arco de falta falharão de forma controlada, eliminando perigo para o público em geral, trabalhadores de energia elétrica e outros equipamentos, bem como asseguram a mitigação incêndio florestal. A emenda a norma detalha como a contenção destes produtos deve ser testada.

A Seção 6 e o anexo AA da edição 2.0 do padrão descrevem claramente os requisitos do teste de arco interno em equipamento de chaveamento com cobertura de metal e controles, destinados a ser qualificados como classificados em arco interno (IAC).

Em reconhecimento à importância de testar produtos monofásicos, a norma passa a notar que "corrente de arco de falha" é definida como "trifásica e – caso aplicável – o valor rms fase-terra monifásico da corrente de arco de falta interna para a qual o equipamento de chaveamento e o controle são projetados para protegerem pessoas no evento de um arco interno”.

As edições anteriores da norma incluíam testes IAC para arcos fase-fase em equipamentos trifásicos, mas omitiam qualquer exigência para classificar arcos fase-terra em unidades monofásicas.

"A NOJA Power elogia a IEC por abordar a omissão inicial da última versão do IEC 62271-200", diz Neil O´Sullivan, CEO da NOJA Power.

"Como fabricante responsável e experiente de equipamentos de chaveamento, a NOJA Power sempre assegurou que nossos produtos religadores automáticos com sólido dieletrico cumprem os requisitos de contenção e exaustão de arco de falta, conforme definido pela IEC62271-200. Se ocorrer uma falha, o arco interno é contido e quaisquer gases gerados são seguramente exaustados", explicou O'Sullivan. "O que as emendas a esta norma agora implicam é que todos os equipamentos de dielétrico sólido - mesmo com configurações monofásicas - precisam possuir contenção e exaustão de arco e este é um passo importante para esta norma e apara a segurança de equipamentos de manobra em poste".

A Linha OSM NOJA Power de religadores de média tensão (15, 27 e 38 kV) (verja "Sobre a linha OSM NOJA Power ") apresenta contenção e exaustão de arco de falta patenteada alcançada pela fabricação do tanque em aço inoxidável e fornecimento de um respiradouro de arco no lado poste da unidade. No caso de formação de arco, os gases quentes são dirigidos para o poste, e para cima, minimizando o risco para o pessoal de manutenção ou de membros do público que podem estar no solo abaixo do religador.

Os produtos passaram por testes de contenção e exaustão de arco de falta realizados pela Test & Certification Australia, cobrindo os cinco critérios especificados na norma internacional: portas corretamente travadas e tampas não abrem, não fragmentação do gabinete durante a prova, nenhuma projeção de pequenas peças, até uma massa individual de 60 g; arcos não causam furos nos lados acessíveis do invólucro até uma altura de 2 m, e os indicadores não se inflamam devido ao efeito de gases quentes.

† “High-voltage switchgear and control gear – Part 200: AC metal-enclosed switchgear and control gear for rated voltages above 1 kV and up to and including 52 kV”

Testes de arco incluem o exame dos efeitos de falha de religadores em tecidos desenvolvidos para imitar a pele humana. Direcionar os gases quentes para o poste e para cima maximiza a segurança do pessoal abaixo do religador.

Testes de arco incluem o exame dos efeitos de falha de religadores em tecidos desenvolvidos para imitar a pele humana. Direcionar os gases quentes para o poste e para cima maximiza a segurança do pessoal abaixo do religador.