Uma capacidade de proteção reforçada ajuda a melhorar a segurança da rede de distribuição.

A NOJA Power em colaboração com uma concessionária de energia elétrica Australiana visam ser pioneiras na detecção de queda de condutores de alta tensão, através da funcionalidade de proteção de afundamento de tensão, ou “brownout” do seu Religador Automático.

Comunicado de imprensa

Julho 2015
NOJA Power CMS UV4

NOJA Power CMS UV4.

A NOJA Power anuncia hoje uma parceria bem sucedida com a maior concessionária de energia elétrica da Austrália, visando que se tornem pioneiros na detecção da queda de condutores de alta tensão (AT), usando a funcionalidade de proteção de afundamento de tensão ou “brownout” no seu Religador Automático da linha de religadores OSM. O resultado dessa colaboração é a inclusão de um quarto tipo de detecção de falha na funcionalidade de proteção de Subtensão no Relé com o firmware 1.10 e versões posteriores do firmware do RA da NOJA Power. A nova funcionalidade ajuda a melhorar a segurança da rede de distribuição.

Brownouts ou “Apagões Parciais” são eventos de subtensões que ocorrem quando um condutor do sistema de distribuição trifásico é desconectado. Sobre essas circunstâncias a tensão de uma ou duas fases fica com um valor de tensão abaixo do normal. (Blackouts ou “apagões” ocorrem quando o sistema todo é interrompido).

Brownouts acontecem por causa da operação de um único fusível AT ou uma ponte AT queimada devido à uma falha de corrente elevada. Além disso, um cenário mais perigoso de brownout pode surgir quando, por exemplo, durante uma tempestade, um galho cair e atingir um condutor de alta tensão fazendo com que as extremidades do condutor entrem em contato com o solo. A falta fase-terra pode, em seguida, queimar o condutor do lado do fornecimento, deixando o condutor do lado da carga ainda em contato com o solo. Uma situação perigosa pode ocorrer também quando um religador localizado a montante faz um disparo de proteção e volta a fechar, porém a corrente de falta resultante é insuficiente para causar outro disparo de proteção, resultando assim na energização do condutor que está em contato com o solo. Condutores energizados são perigosos para as pessoas e animais, podendo também causar incêndios em vegetações.

Uma das principais concessionárias de energia elétrica Australiana queria eliminar esse perigo, por isso solicitou que a NOJA Power incluísse a funcionalidade no firmware de seu religador automático, para utilizar a análise de tensão na determinação da causa de um brownout. A concessionária almejava usar essa funcionalidade para implementar um esquema de proteção que bloqueasse o religador após a detecção de um condutor AT caído.

A concessionária analisou a comportamento da tensão resultante de condutores de AT caídos e descobriu que o elemento-chave desta falta era o próprio condutor caído, o qual possibilitava um caminho de retorno à terra no lado da carga da falha, resultando num aumento da corrente de terra. A NOJA Power então aprimorou a funcionalidade de seu religador automático, para que a concessionária pudesse implementar um esquema de proteção que, ao detectar esse aumento na corrente de terra, combinado com um apagão parcial de subtensão (definida como a tensão entre o maior nível de tensão da carga de afundamento, (17,6 kV para sistema 22 kV) e do limiar de ruído (1kV)), desenergiza a alimentação, tornando qualquer condutor caído, seguro.

A nova funcionalidade, chamada de "UV4", acrescenta às três formas de subtensão já incluídas no firmware para a Linha OSM de Religadores Automáticos da NOJA Power. "UV1" detecta subtensão de fase balanceada trifásica, "UV2" detecta subtensão de linha e "UV3" detecta perda de alimentação (um apagão).

A nova funcionalidade foi introduzida com o lançamento do firmware do relé 1.10 e está incluído em versões posteriores. Concessionárias empregando os Religadores Automáticos da linha OSM da NOJA Power com cabines de controle RC10, não necessitam de adições de hardware para tirar proveito da UV4.

"A colaboração mais próxima com um cliente-chave australiano nos permitiu desenvolver essa nova funcionalidade que poderá melhorar significativamente a segurança das redes de distribuição ao redor do mundo.", diz Neil O'Sullivan, diretor geral da NOJA Power. "Esta colaboração demonstra a disposição da NOJA Power em considerar as solicitações de seus clientes e trabalhar com eles para melhorar a qualidade dos nossos produtos”.

"Embora este cliente tenha orgulho de ser a primeira empresa no mundo a implementar um sistema de proteção usando esta nova funcionalidade dos religadores automáticos da NOJA Power, eu prevejo que será seguido por muitos outros, particularmente em regiões onde as queimadas são um sério perigo", acrescenta O'Sullivan.

Os Religadores Automáticos da linha OSM da NOJA Power são elementos fundamentais de redes elétricas inteligentes e fornecem um conjunto abrangente de recursos de automação. As unidades realizam medição de tensão n as seis buchas, medição de corrente nas três fases, proteção bidirecional, funcionalidades de qualidade de energia e extensa capacidade de registro de dados.

Os Religadores Automáticos possuem os benefícios da utilização de interruptores a vácuo e isolamento dielétrico sólido, ao invés do óleo ou hexafluoreto de enxofre (SF6), ambientalmente hostis, os quais eram usados nos seccionadores e religadores mais antigos. Outro elemento chave da linha OSM é a sua caixa de aço inoxidável, que constitui a única unidade dielétrica sólida com uma câmara de contenção e exaustão de arco de falta no mercado.

A cabine RC10 é um controlador pronto para comunicação SCADA, que fornece em um único pacote proteção direcional de sobrecorrente, relé de falta à terra e falta sensível à terra, relé de religamento automático, medição instantânea, registro de eventos, registrador de demanda e unidade terminal remota (UTR) para o controle remoto.